segunda-feira, 15 de agosto de 2011

CRONICA DO DOMINGOS SÁVIO AZEVEDO CABRAL


Minha Convivência com a Doença de Parkinson
Ousadia... A filosofia no parkinson

Hoje, é a terceira crônica que faço e com ousadia de um veterano em contraste com o pouco saber. Quero escrever um tema ousado que me ajude a compreender a minha doença. Isto ocasiona minha inquietação e provoca cumplicidade entre o desafio para uma reflexão filosófica  em que possa realizar  pensamentos filosóficos, ou seja praticar filosofia na doença, ou melhor criar um liame entre tentar e também ser uma leitura de informação aos portadores de Parkinson e ao mesmo tempo o emissor da informação, que transforma a cumplicidade em desejos e aspirações compartilhadas. 
Na verdade minha atitude apesar de ser inicialmente uma pretensão muito grande tem em se mesmo um caráter filosófico de adentrar no conhecimento da filosofia como  uma forma de encontrar respostas as minhas angustias. Desta maneira minha percepção aponta para uma distancia significativa entre o que pretendo e quais os resultados a serem alcançados.
Antes de tudo porem inquirir a mim mesmo se fez necessário. Primeiro sentir a existência de um espaço de dimensões gigantesca entre o meu saber sobre ambos os temas Parkinson e a filosofia. A existência dessa laguna me obriga a praticar dias de leitura sobre ambos os temas com uma responsabilidade que vai além da vontade de saber e compartilhar; para tanto necessariamente é preciso explicar que a filosofia ao contrario do saber cientifico detém permanentemente um comportamento critico a qualquer principio, sendo, portanto um pensar radical embora saiba que seja caminhos de reflexão e revisão.
 É com essas características que a filosofia demonstra todo seu caráter literalmente critico e passo a passo tenta explicar e debater hipóteses, conseqüências, e implicações. E é nesse embalo que estou me envolvendo. Envolvendo-me com demasiada vontade na busca incessante de um caminho fantástico para tentar ver como a doença, hoje com o intruso Palhares, juntamente com meu corpo, tem a visão da minha vida. Na minha busca aprendi um termo que não conhecia. “Logosofia”. Aprendi que também teria de saber o seu conceito que fui buscar na net. A Logosofia é a ciência do presente e do futuro, porque encerra uma nova e insuperável forma de conceber a vida, de pensar e sentir, tão necessária na época atual para elevar os espíritos acima da torpe materialidade reinante. ( Da Sabedoria Logosófica).
 Portanto quero dizer aos Prezados Colegas Parkinsonianos que me acompanham na leitura através do meu blog que quero que  saibam que esse é meu novo desafio e que vou ao  longo do tempo construir essa junção de aprender o parkinson buscando resposta na filosofia.
Hoje cheguei a essa conclusão amanha posso mudar, pois a apropriação desse conhecimento implica para mim numa nova classificação das coisas no cotidiano com a doença em novos espaço de dor ou de prazer que será com certeza o cerne de minhas futuras tomadas de decisão para a fuga, para a clausura familiar, para o prazer e sobretudo para aproximação da fé.  

2 comentários:

Badu disse...

O amigo Domingos é o presidente da Associação Potiguar dos Portadores de Parkinson, passe pelo seu blog e veja como o grande guerreiro PK nos mostra suas cronica,para conhecer seu blog basta entrar com o endereço: http://parkinsonianorn.blogspot.com/

max disse...

A busca para um melhor entendimento do parkinson e a aceitação consciente da doença passa pela compreensão de que podemos continuar vivendo nossas vidas fazendo tudo que fazíamos embora com mais dificuldade e lentidão.Adaptar-se a novas situações faz parte do jogo da vida e com esta visão otimista...xô tristeza e auto comiseração...Eu quero,eu posso...eu faço!
jose m medeiros