segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Prestes a ser despejada, Associação de Parkinson de Pernambuco pode deixar de atender a 300 doentes | Vida Urbana: Diario de Pernambuco

Um grupo de 300 portadores do mal de Parkinson que recebe tratamento prestado por voluntários em uma sala emprestada do prédio Santo Albino, na Avenida Guararapes, está prestes a perder o direito de usar o local e o acesso às terapias, muitas vezes essenciais para a manutenção dos pacientes. Na sala, funciona há cinco anos a Associação de Parkinson de Pernambuco (ASP-PE). A instituição, criada há doze anos, é mantida graças a doações de pessoas físicas e sócios.

No entanto, desde janeiro a presidente da associação, Terezinha Veloso, vive com o dilema de não saber para onde ir. Ela, assim como os outros inquilinos, recebeu a notícia de que o prédio foi vendido e, por isso, teria que desocupá-lo até o dia 15 de fevereiro. Após o prazo, apenas quatro condôminos ainda estão no prédio porque não têm para onde se mudar. Em meio à situação já complicada, no dia 25 de fevereiro um incêndio impediu o expediente normal dos inquilinos gerando transtorno e falta de energia. Locatários das salas pedem mais tempo para uma desocupação mais tranquila e em melhores condições. A situação ganhou mobilização nas redes sociais e foi denunciada ao Cidadão Repórter, fórum de jornalismo colaborativo do Diario de Pernambuco, pelo Facebook.

Fonte : Prestes a ser despejada, Associação de Parkinson de Pernambuco pode deixar de atender a 300 doentes | Vida Urbana: Diario de Pernambuco

Um comentário:

Baldoino Soares Badu disse...

É uma pena ver isso acontecer com uma instituição que ajuda tanta gente, não me conformo com essa situação, onde estão os políticos de Recife que permitem que isso venha acontecer.